Blog – Vista Linda

O ritual de sair para comer engloba muitos fatores que, quando em harmonia, criam uma experiência positiva. Eu acredito nisso, e por este motivo eu não consigo achar péssimo um restaurante de comida ‘ok’, mas onde o atendimento foi ótimo e o ambiente, muito agradável; nem achar maravilhoso um lugar onde a comida é incrível (tá, talvez eu volte só pela comida…), mas onde me trataram como cachorro ou onde o restaurante tinha uma aparência que incomodou.

É como se a média aritmética (ok, confesso que nem lembro a definição disso) desses vários fatores é que resultasse num cenário ‘show’ ou ‘não rola’.

Assim, tudo que promete uma experiência diferenciada, seja pela comida, seja pelo passeio, seja por outra coisa, para mim vale a pena. Foi assim com o restaurante Servus, e também foi assim com minha última descoberta: Vista Linda.

O nome não mente. Localizado numa espécie de ‘serra’, lá na Rua 14 do Lago Oeste, o Vista Linda é uma casa deliciosa, com parquinho, o restaurante, muito verde e, é claro, uma vista incrível.

DSC_1143

A proposta? Clássicos capixabas e alguns pratos ‘revisados’. Então tem a clássica moqueca capixaba com badejo e/ou camarão (faixa de R$180,00); tem uma moqueca que eu fiquei louca para provar, com catupiry e muçarela (R$180,00?), mas o grupo optou por uma proposta bem diferente para testar: um ensopado de feijão branco, com polvo, mexilhões, lula e camarão (R$174,90). Diferentaço, né?

Todas as moquecas vêm acompanhadas de uma outra receita inédita para mim: uma moqueca de banana da terra – hello, veganos! Nosso prato não era moqueca, mas demos uma chorada muito educada e até oferecemos para pagar por fora, como um extra, e o simpático chef e proprietário Guto, acolheu o pedido.

IMG_20150503_142438

IMG_20150503_150411

De entrada, uma tríade, com polvo, lula e camarão empanado (R$69,90-73,00). Alguns pedaços do polvo passaram um tiquinho do ponto (muito pouco mesmo), mas que delícia! Olhar a vista, beliscar frutos do mar bem temperados e tomar uma cervejinha foi um programa clássico e maravilhosos.

DSC_1149

Na hora do principal, ironicamente, o simples arroz já chamou a atenção, por estar soltinho e temperado, e não aquela coisa sem gosto parboilizada de muitos lugares. A ‘feijoada’ de frutos do mar foi aquela surpresa! Nunca pensei que lula e mexilhão com feijão ficaria bom! Outro lapso da casa foi que esqueceram do camarão no nosso prato. Algo que não é tão perdoável, porém, as desculpas sinceras do chef, a explicação de que, como o camarão entra por último, a auxiliar esqueceu de colocar na panela, e o clima ‘good vibe’ nos fizeram esquecer o perrengue e até pedir uma porção de camarão empanado à parte (R$69,90?). O empanado é diferente, fica leve e crocante. O camarão estava no ponto, tudo uma delícia.

DSC_1152

Agora, sem brincadeira, moqueca de banana da terra foi a coisa mais louca e incrível que já comi. Maravilhosa, diferente, gostosa de verdade. E apesar do tom irônico para os veganos lá em cima do texto, acredito que seria uma ótima opção para alguém com algumas restrições alimentares! Banana da terra, molho de tomate da casa, cebola, temperos, enfim.

DSC_1150

O passeio foi maravilhoso e valeu cada centavo. É bom tomar cuidado com a empolgação gastronômica para a conta não sair cara. Ah, e apesar da vista e da distância, aceitam cartões. Amém.

NOTA DO BLOG: cansei de dar notas definitivas, pois, especialmente em Brasília, parece que tudo pode mudar do dia pra noite. Mas, para fins de referência: show ou phoda.

DICA DO BLOG: a moqueca de banana e a tríade são obrigatórias. Eu começaria pelas moquecas clássicas e chegaria até à moqueca de catupiry. A feijoada é para paladares mais ousados.

Serviço: Núcleo Rural Lago Oeste, Rua 14, 379 – Sobradinho, (61) 3302-5425

5 comentários sobre “Blog – Vista Linda

  1. Fizemos uma reserva de almoço para 40 pessoas e tivemos muitos problemas com o atendimento. Só estava o nosso grupo no restaurante, pelas minhas contas, foram entorno de 35 pessoas.

    Pontos negativos:

    – Demora muito grande para o atendimento, algumas mesas esperaram 2 horas quase que exatas para receber o pedido.
    – O Suco de laranja acabou rapidamente, deu apenas para algumas pessoas que chegaram mais cedo.
    – Por repetidas vezes os copos chegaram sujos de batom.
    – Fomos informados que as moquecas eram bem servidas para 2 pessoas, mas não serviram bem 2 homens.
    – Se pedíamos por exemplo um copo, muitas das vezes éramos esquecidos.
    – Não tinham troco para o pagamento em dinheiro.
    – Preço muito elevado, melhor comer no coco bambu ou outro restaurante.
    – É bem distante, mas isso nos já sabiamos.

    Pontos Positivos:

    – A “Estradinha” britada que vai até o restaurante está muito bem conservada.
    – A vista realmente é linda.
    – O sabor da comida é bom, mas nada de excepcional.

    Resumo da Opera:

    Maior furada, não recomendo! Espero que melhorem!

    Vou espalhar essa mensagem na internet para que outras pessoas não tenham os mesmo problemas!

    1. É outro lugar onde não retornei, não por não gostar, mas por falta de tempo, mesmo.
      Acho que um lugar daquele tamanho não pode vacilar no atendimento. Sinto muito pela sua experiência… 🙁

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *