MONJOLO

É engraçado como alguns lugares conseguem se tornar tradicionais e até célebres na cidade, mesmo tendo uma postura discreta, quase isenta de publicidade. A Monjolo, a meu ver, é um pouco assim: tem seu lugar no fundo da mente de todos que testemunharam o surgimento da casa que se propunha a vender salgados, bolos e tortas doces e salgadas artesanais, executados com base em receitas familiares e ‘simplicidade impecável.’

Foi assim que me viciei na torta de banana, no enroladinho de linguiça e no bolo de cenoura de lá. Mas, de tempos para cá, perdi o hábito, vi as filiais do Lago Sul e do Sudoeste fecharem as portas e acabei deixando a Monjolo só lá no fundinho da cabeça.

Mas aí que sou surpreendida com um convite para conhecer a nova carta de cafés da casa, elaborada pela barista Bebel, que buscou oferecer uma variedade controlada de cafés quentes e gelados, clássicos e originais, só para levar de volta à Monjolo. E eu voltei, feliz e contente.

Afinal, de um espresso bem tirado a um arriscadíssimo, originalíssimo e delicioso ‘frozen’ de café, com suco de maracujá e leite de coco, eu topo tudo. Esse drink, então, foi uma surpresa quase inacreditável, já que não sou a maior fã de coco, nem muito adepta dos drinks não-cremosos com café. Fui convertida. Talvez colocasse até uma ‘vodega’ dentro, para dar uma animada. R$8,00. Aliás, os preços dos cafés, começando por R$ 3,00 o espresso e indo ao máximo de R$ 12,00 por um Irish Coffee, estão excelentes. Principalmente num mundo onde cobram R$ 5,00 por um nespresso, que é, de fato, café solúvel.

Outra opção deliciosa é o Café Calmo (foto acima), café duplo com uma base de caramelo (de verdade, não industrializado) feito com camomila e baunilha fresca. De.li.ci.o.so. R$10,00.

As comidinhas continuam com tudo. Fiquei enlouquecida com um bolo de baunilha daqueles simplérrimos, porém, saborosíssimo, fofinho, perfeito, aliás, para acompanhar um café. O bolo de banana com passas continua divino e me fez me questionar por que cargas d’água eu parei de comprá-lo. E o bagel, que apesar de estar se tornando popular nem sempre tem a receita respeitada, é bagel de verdade, bem massudo, denso, acompanhado de cream cheese e salmão defumado, ou, se preferir, com geleia ou mesmo puro. Só não gostei da cheesecake, que tinha massa muito grossa e excesso de calda de frutas. Porém, eu assumo que sou um verdadeiro porre com cheesecake. A primeira que comi na vida foi em NY e isso me estragou para sempre.

Estou planejando conhecer o café da manhã da casa, que ocorre aos domingos, e oferece iogurte caseiro batido com frutas, ovos e os produtos da casa.

  •  NOTA DO BLOG: SHOW!
  • DICA DO BLOG: descubra os horários de saída dos salgados para pegar os mais ‘frescos’, jogue-se nas tortinhas de banana, requeijão, baunilha, laranja e pode arriscar nos cafés sem medo.
  • SERVIÇO: CLSW 301 bloco C, 3344-2553; CLN 215 Bloco D Tel. 3347-9866/3273-2597; CLN 404 Bloco D Tel. 3326-2876/3326-6438;  CLS 210 Bloco C, tel. 3244-4856

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *