Liv Lounge

A primeira vez que pisei no Liv Lounge, eu tinha acabado de comer em casa, e apenas passei num aniversário rapidamente a caminho de outro evento. Mesmo assim, o buffet de feijoada – por acessíveis R$39,90 realezas – me pareceu muito atraente, e o lugar, confesso, me encantou.

Tá certo, a casa já ganha muitos pontos só pelo ambiente beira-lago, com um quê de clube, um quê de praia, móveis em madeira, varandão, toldo e ombrelones e uma piscina ao lado que, óbvio, pertence ao condomínio Life Resort,  lá na Vila Planalto, mas dá um pouco de inveja aos clientes do restô em dias de Sol quente. Tudo bem, porque o deck em frente ao Liv vive cheio aos fins de semana, com gente fazendo stand-up padle (aquela pranchona de surf com um remo) ou chegando de lancha para almoçar.

Realmente, é sentar e pedir um espumante para se sentir rhyca e bem sucedida naquele lugar. Sem contar que é desses ambientes que recebem bem desde uma rodada de bebidas e fofocas com as amigas, uma feijoada familiar, até um almoço com as amigas do trabalho durante a semana. Foi assim que eu, finalmente, provei a comida do Liv Lounge e gostei bastante.

Para abrir os trabalhos, um chardonnay Alamos, que geladinho, fez nossa alegria, pois estava muito quente o dia (R$89,00?).

De entrada, dadinhos de queijo coalho com uma casquinha de gergelim que deu um sabor renovado, acompanhados de geleia da casa e mel de engenho. Adorei. Meio que combinação imbatível o coalho com mel (R$26,00), mas não há nada de mal em garantir vitória nas receitas.

O carpaccio – que é uma dessas entradas que eu sempre peço e avalio com certa fúria, por ser um prato que eu adoro – foi um dos melhores que comi nos últimos tempos, com lascas de grana padano e rúcula, temperatura na medida e bonita apresentação (R$?).

Como já tínhamos caprichado nas entradinhas, uma amiga sugeriu que dividíssemos o prato – o que me deixou com pé atrás porque amiga magra não entende a empolgação de gordinha das trevas, e acha que dá para dividir tudo que é prato, mas, realmente, eu já estava de estômago forrado pelas entradas, então pude manter a pose. Fui de Saint Peter recheado, que é assado com tomate seco, cenoura e salsão, enrolado quase como um rocambole, no molho de alho poró, sobre uma fatia de burrata e acompanhado de “funghi trifolate”, aka, mix de cogu.

Gostoso, mas não espetacular. Os dois maiores problemas, na verdade, foram a falta de tempero do peixe (e St. Peter é tilápia, né, um peixe bem blasé que merece ter um tempero mais arriscado ) e, culpa nossa, a divisão do prato. E olha que o garçom parou para dividir com todo o carinho, à mesa, tentando não perder a apresentação. Mas além de ter sido visualmente prejudicado, o prato perdeu um pouco da concisão, aí, ficou aquela coisa de se comer um peixe, com burrata e cogumelos sem sentir que eles eram todos parte do mesmo projeto. MAS, de maneira alguma estava ruim (R$48,00).

Na verdade, acho que foi um pouco de inveja, pois o Filé Fusion que as outras dividiram, com medalhões de filé com queijo coalho, banana da terra grelhada e farofa de ovos, com risoto de açafrão, além de lindo, estava divino e estupidamente farto. Quatro mulheres dividiram dois pratos, mas o prato parecia inteiro, pois vem com dois medalhões cada. Carnes ao ponto, risoto saboroso, e, de novo, queijo coalho que combina com tudo, mas principalmente com banana (R$52,00).

De sobremesa, petit gateau de doce de leite com sorvete de creme – de novo, aposta em receita infalível, mas não há nada de errado nisso – e com uma calda de laranja que fez toooda a diferença! Muito gostoso, com as notas cítricas da calda que quebram aquela overdose de açúcar, enfim, show de bola (R$22,00).

Dividindo a conta toda e considerando o ambiente, a alegria, a comida e o atendimento, diria que o custo/benefício valeu demais! Até porque eu gosto muito de lugares que te permitem, por exemplo, gastar R$50,00 (o prato executivo é R$29,90!) ou R$150,00, com produtos bons.

NOTA DO BLOG: ATÉ QUE ROLA – SHOW! (quero testar outras ocasiões, néam?)

DICA DO BLOG: carpaccio, dados de queijo coalho e, com certeza, o filé fusion. Mas a feijoada rola no sábado, e a casa tem belisquetes e até sanduíches.

Serviço: dentro do Condomínio Life Resort, perto do Vila Mix, e atrás do Espaço da Corte, lá na Vila Planalto. Tel.: (61) 3526 9921  Email: contato@livlounge.com.br. Terça a sábado, das 12h a 0h. Aos domingos, de 12h às 22h.

 

 

5 thoughts on “Liv Lounge”

  1. Na verdade, não é Vila Planalto, reduto da boa culinária brasiliense.

    Pra orientar melhor, seria bom corrigir para SHTN – Setor de Hotéis Turísticos Norte, ao lado da Vila.

    1. Então, dessa vez foi bem legal, mas o conjunto da obra pesou positivamente (ambiente + amigas + vinho na cabeça). Não é uma comida espetacular, mas acho que escolhendo certo, rola muito! 😉

  2. Estive lá ontem para conhecer o local e simplesmente odiei.
    Ao chegar, achei o local bem bacana, descontraído, com um que de restaurante beira praia, mas logo começaram os problemas.
    O bar tender veio sugerir as bebidas da casa e sugeriu o drink da noite: o chanel nº 5. Como não tenho muita tolerância a bebida, perguntei se era bem suave, e ele afirmou e disse q eu poderia pedir sem medo e caso não gostasse seria por conta da casa. Não respondi nem que sim e nem que não, apenas disse – segurando o menu de bebidas – que daria uma olhada, mas, para a minha surpresa, ele trouxe do mesmo jeito. Não gostei do drink e devolvi – não ia pagar R$ 20,00 por algo que nem cheguei a pedir de fato.
    Mais pessoas começaram a chegar e, a cada passo que uma pessoa dava, sentia aquela trepidação por causa do piso ser tipo um deck – pedimos para mudar de mesa.
    Quando pesquisei sobre o lugar, li muitas pessoas dizendo que era um lugar lindo e maravilhoso, romântico, etc. Estava agradável sim, até que o DJ começou a tocar músicas boas, mas com o som alto, então para quem estava a procura de um lugar tranquilo para um jantar para desestressar, não foi uma boa pedida.
    Acho que se enganaram no prato dividido pelas suas amigas, pois meu marido pediu o mesmo filé fusion e veio exatamente como na foto postada: dois filés com queijo coalho e banana, farofa e risoto. O filé estava gostosinho, mas nada de excepcional e do tamanho de um prato normal. Pedi um risoto imperial que estava estupidamente salgado, comi os 4 camarões só para não dizer que joguei R$ 74,00 no lixo.
    Em fim, a minha experiência no Liv Longe não foi nada agradável – não rola!

    1. Bom, dois pratos de fusion foram divididos por 4 mulheres, na minha visita, então, achei o prato farto sim, Akemi.
      Em relação às outras reclamações, acho que, talvez, o lugar não seja mesmo do seu agrado, e isso acontece. A forma como as pessoas pisam ou se ficou claro se o drink foi pedido ou não, são perspectivas bem pessoais, e, claro, te geraram uma impressão negativa do lugar. De fato, nunca estive lá à noite, mas desencorajei um leitor que queria pedir a namorada em casamento num dia que tinha DJ, por não ser um clima propício. Acho que você pode tirar o restô da sua lista. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *