FOGO DE CHÃO

A churrascaria brasileira mais badalada no exterior chegou à Brasília causando espanto: nada de decoração brega, nada de frutos do mar, sushi ou sashimi no buffet, e nada de precinho promocional (na época, cerca de R$63,00). Só dois comilões profissionais, como eu e André, para toparmos levar uma facada por uma nova experiência gastronômica. 

Visto que muita gente hoje em dia vai à churrascaria para comer ostras, camarão e comida japonesa, a política de ‘churrasco only’ pode parecer decepcionante. Mas não é. A Fogo de Chão é um lugar para apreciadores de carne, e não os deixa na mão. Os clássicos como a picanha, cupim e coração de galinha, temperados à perfeição, não deixam ninguém com a sensação de ‘lá vem aquela carne de novo’. O buffet não fica atrás e apresenta saladas com ingredientes mais originais, como a endívia, além dos tradicionais frios e um surpreendente shitake temperado. O serviço, então, vale a conta por si só. Tenho certeza que os garçons conseguem ler pensamentos. Enfim, pra quem puder ou se dispuser, vale tirar uma noite para conhecer.

Update (maio/2010): O rodízio, hoje, custa exorbitantes R$84,00. O buffet continua impecável no sentido de que todos os elementos tendem a destacar os sabores das carnes. Tudo de altíssima qualidade, mas cada vez menos acessível. O atendimento continua o melhor de toda a cidade. Nível internacional mesmo. A melhor carne de Brasília, sem dúvida, mas a ser consumida, pelos financeiramente mortais, com moderação.

  • NOTA DO BLOG: SHOW!
  • DICA DO BLOG: a costeleta de cordeiro (na forma de carré) e o molho argentino chimi-churri são im.per.dí.veis. CRÍTICA: O estacionamento é necessariamente via manobrista e caro. Vale burlar e estacionar nos hotéis ao redor. SERVIÇO: SHS Quadra 5, Bloco E (no mesmo local da antiga Spettus) – Asa Sul (55) 61-3322-4666

Um comentário sobre “FOGO DE CHÃO

  1. Ao debutar no blog, falei que atualmente saía pouco para comer. Foi só publicarem meu post, que me deu vontade de sair. Na última quarta, dia 7/11/12, fui almoçar na Fogo de Chão. Morrendo de medo, porque a freqüência do local, na semana … Coisas de Brasília. Depois que venderam a empresa para u fundo de pensão de velhinhos do Minessota, havia caído um pouco a qualidade das carnes, embora o serviço se mantivesse razoavelmente impecável, posto que excessivo, às vezes. Enfim, no dia, salvo a picanha, de peça de três quilos, o restante voltara a ser o que era. A costeleta de Carneiro estava ótima. Salgado só o preço: 200 reais, para uma pessoa. Mas bebi meia garrafa de vinho modesto , tomei um Ristreto e bebi uma tacinha de Cointreau

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *