Café Universal

Uma das maiores dificuldades que tenho, ultimamente, é indicar um bom brunch na cidade. Tem leitor/amigo que vinha de São Paulo com clientes, me pediu dicas e eu não conseguia pensar numa opção verdadeiramente bacana.

Sim, há os buffets da Bellini e da Pralinê, mas confesso que o primeiro, eu enjoei, e o segundo, achei fraco. Então quando soube que o Universal Diner tinha aberto um café, que funciona de 09:00 às 16:00, aos sábados, fique mega empolgada. 

A Chef Mara Alckamin tem fãs e inimigos, ambos fervorosos. Mas uma coisa é certa: antes do mercado gastronômico brasiliense intensificar suas influências internacionais, ela foi uma das primeiras a trazer uma proposta diferenciada, de uma casa com clima badalado e comida clássica, inspirada, principalmente, nas cozinhas italiana e francesa.

Eu continuo fã do ambiente kitsch do Universal. Adoro aquela cara novaiorquina, de decoração levemente insana, que ainda é raro de se ver em Brasília, onde o ambiente é, ou conservador demais, ou negligenciado demais. O lugar é pequenininho, mais fechado, com ar-condicionado e wi-fi, meio que perfeito para sentar com o computador e escrever para o blog. 😉 A própria Mara disse que “é um lugar onde o tempo vai parar para o cliente”, e eu adorei a ideia.

A casa já tem cafés próprios: Blend Universal, Orgânico (certificado pelo IBD), Descafeinado, Café do Barista e Café Jacu, todos 100% Arábica. O pacote de 250g sai a R$ 16,00. E a carta inclui clássicos e  modernos, como sete variedades de cappuccinos italianos, uns cinco cafés especiais, e quatro frappés (em vez do sorvete, eles usam o leite congelado, o que garante mais sabor de café e menos caloria). Para galera com restrições,  nas bebidas com leite, é possível optar pelo integral, sem lactose, de soja ou desnatado.

Eu sou muito fã de cafés cremosos gelados, então provei o Mocca e amei. 

As comidinhas estão bem gostosas, para segurar um bom papo entre amigos do café da manhã até o almoço. E uma iniciativa que eu apoio: praticamente tudo é feito na casa, tipo as geleias, o pastrami, o rosbife, o hambúrguer de picanha, os iogurtes, os pães, quiches, madeleines, brioches, croissants, bolos, pancakes, rosquinhas, entre outros. 

Aos sábados e feriados, das 9h às 12h, o Café Univesal serve o Composta por 1 café, 1 suco de laranja, 1 salada de frutas (da estação), 2 pancakes com syrup do Cerrado, 2 ovos, queijo frescal,  bacon, toast, muffin do dia, manteiga e geleia), a sequência sai a R$ 24,90 por pessoa. 

Aplausos especiais para o hambúrguer de picanha, com beterraba e queijo azul, (R$ 27,90). Parece estranho, mas impressionante o que o sabor adocicado da beterraba faz com as notas marcantes do queijo azul. Uma delícia!

Consegui provar o rosbife sozinho, sem ser parte do Bauru, e estava divino também.

Para a galera das restrições, de novo: Queijo Quente Vegano (com tofu), a R$ 9,50; e o VEG (berinjela, abobrinha pesto de baru, mozarela de búfala ou tofu, tomate e manjericão), a R$ 26,90.

Completam as variedades de sanduíches, o Burguer Universal (hambúrguer de picanha com bacon, alface, cebola, maionese caseira e queijo fundido) e o Burguer da Chef (hambúrguer de picanha, beterraba e queijo azul), ambos no pão de hambúrguer, a R$ 27,90 cada. 

Não comi, mas adorei a ideia da casa servir vários ovos e omeletes – o que é perfeito para um brunch – então vou voltar, com certeza!

3 comentários sobre “Café Universal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *