Café do Chef

O Café do Chef tem um currículo para ninguém botar defeito: investimento pesado em bons grãos, boas máquinas, bom barista e bom Chef para fazer comidinhas que acompanham os drinks cafeinados ou sucos.

O lugar, pra mim, é ideal para dar uma de francesa, tomando café e lendo livro ou jornal – algo que adorava fazer e pretendo recuperar como rotina. Na esquina da CLN 108, com área coberta e externa, o local é perfeito para quem quer curtir um tempo sozinho no meio da cidade.

Para lanchar ou até almoçar, a casa oferece saladas, sanduíches, quiches e sobremesas.

A salada Caprese (R$20,00) podia ter contado com mais tomate cereja, muçarela de búfala (argh, esse c e cedilha me matam) e molho, mas a alface roxa tava crocante, bem fresquinha, e com um pouquinho de sal e azeite, deu tudo certo, mas eu ficaria nas outras saladas pela diferença de preço (R$16,00).

DSC_0062

 

O Malandro (R$22,00) é um sanduíche feito no pão de Ciabata com filé ao molho de mostarda e cebola. A carne estava divinamente macia, o molho foi suficiente para molhar bem o pão – o que eu adoro –  e a cebola, a meu ver, podia ser mais refogadinha, mas como era cebola roxa, combinou com tudo sem arder demais. Como o sanduíche tem sustância, rola até de fazer as vezes de almoço rápido.

Na mesa, pediram também o sanduíche de presunto Parma, fatias de limão siciliano e rúcula – Di Parma, R$23,00 – que agradou bastante. Eu mesma provei e gostei muito, afinal, presunto de Parma, limão siciliano e, incluo ainda, bacon, sempre deixam o mundo melhor. Achei super levinho, gostoso e ideal para o lanche. Os outros sandubas têm preços na faixa de R$15,00 (Vegetariano) a R$18,00, mas a casa ainda tem wraps, tábua de frios, cuscuz, paninis, croissants, etc.

DSC_0068

Cheesecake com calda de goiaba e a cheesecake de café chocolate meio amargo do Chef adocicaram o paladar (R$10,00), e o pacote só podia fechar, claro, depois dos cafés!

DSC_0072

A casa tem três novos rótulos de grãos premiados: Café do Sul de Minas, produzido na Fazenda Monte Verde; Café do Cerrado Mineiro, da Fazenda Apucarana; e Café de São Paulo Mogiana, cultivado na Fazenda Recreio, e meu preferido dos três. Todos tem excelentes aromas, uma boa acidez, e cabem bem num paladar variado, porque não são agressivos.

DSC_0079

No final das contas, foi um ótimo almoço com amigos, mas quero voltar sozinha…para fazer a francesa.

2 comentários sobre “Café do Chef

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *