Bottarga Ristorante

Lindo, lindo, lindo. Que cardápio maravilhoso pudemos provar por lá.

Apesar da casa querer se mostrar mais acessível, ainda não é para todos os bolsos, é claro. Mas, sim, dá para escolher um prato de R$37,00 a R$55,00. Dá para escolher um vinho de R$79,90. E, assim, dá para conhecer a casa.

 

Para quem puder, vale visitar em tempos de bonança, porque é um desses restaurantes onde a comida é muito boa, o serviço é prestativo e o clima é na medida certeira entre o sofisticado e o levemente informal, o que dá vontade de esticar e gastar bem. Afinal, comida boa deve ser acompanhada de um bom papo, e se for regado a vinho então, é muito melhor estar amparado pela música ambiente e o zumzumzum de um salão. Eu detesto silêncio sepulcral em restaurantes.

Mas vamos à comida.

1) Couvert de pãezinhos com manteiga trufada – sempre bom.

2) Raviólis de queijo Brie com figo, regado com manteiga de sálvia e lâminas de amêndoas tostadas. Ai, pura literatura pornográfica gastronômica. Que delícia! De uma leveza e, ao mesmo tempo, tanto sabor, que fiquei encantada! A cremosidade do Brie com a doçura discreta do figo é uma combinação imbatível, mas a maciez confortante da manteiga e o crocante das amêndoas deixaram o prato arrebatador (R$37,00).

3) Filé de bacalhau assado no azeite de vitela, com batatas ao murro e tomate, cebola e azeitonas pretas confitadas. Este prato já é carro-chefe da casa, um dos mais pedidos, e não é à toa. Um bacalhau alto, perfeitamente ao ponto, que se desmancha em lascas ao mais leve passar de garfo. As notas adocicadas do tomate e da cebola se contrapõem lindamente com a leve acidez da azeitona. As batatas bem temperadas fazem a base perfeita para o prato. Fantástico. (R$99,00)

4) Leitão assado em sous vide (tradução = beeeeeeem devagar em baixa temperatura), com batata doce, mini rúcula e vinagrete de maçã verde. Belíssima apresentação e uma sofisticada criação com a carne de porco que, parece-me, está começando a ser melhor explorada por restaurantes de alto nível (comemos um prato similar no Taypá, muito bom também). A carne desmanchando, com suas notas adocicadas da gordura, mas muito bem temperada para casar com a batata doce. A vinagrete de maçã verde traz o toque cítrico para quebrar os outros sabores e quase limpar a boca entre uma garfada e outra. Espetacular. (R$63,00).

Para a sobremesa, tive que me render. Logo eu que não sou fã de bolo, caí de joelhos perante o famoso bolo da Ivone, uma marca registrada da casa, feita pela profissional e parte da família há anos. Uma massa densa de chocolate com um brigadeiro mais denso e saboroso ainda no recheio e na cobertura. Simples e genial. O único problema é que a Dona Ivone tem muita demanda e já é uma senhora, motivo pelo qual não há realmente uma constância na venda do bolo.

A pannacotta é das minhas sobremesas favoritas, e essa de chocolate branco com calda de maracujá está divina (R$19,00).

 Arrematando tudo, um Catena chardonnay 2011, super frutado, mas nada enjoativo e bem gastronômico.

Para quem fica na dúvida sobre um lugar especial, aposte suas fichas no Bottarga. Para quem tá a fim de conhecer sem se arriscar, sempre tem a ‘janela’ do prato executivo, com entrada e principal por R$49,90 (super acessível para o padrão da casa). E não se esqueça que o Bar Bottarga e o Café das 5 são no mesmo espaço e boas opções também.

Fica a dica!

Serviço: SHIS QI 05, Comércio Local, 2º andar do Espaço Maria Tereza, 3248-4828

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *