Shhhhh…este blog está dormindo.

Querido(a) Leitor(a),

 

se você está se dando ao trabalho de ler isto aqui, é porque você é daqueles queridos que realmente param para ler o conteúdo e não apenas ver as fotos. Durante um tempo, eu escrevi só por e para você, e agradeço muito por ter vindo, lido, comentado ou não.

Mas os tempos são duros para os escritores mais românticos, e na correria insana da rotina e o massacre das mídias sociais, escrever bem, escrever feliz, revisar duas vezes, e tentar fazer um texto bacana se tornou quase impossível.

A comida ainda continua sendo minha pornografia. Mas comer fora já não é um ato que posso levar de maneira tão leviana. Em tempos de crise, questionamos quase todos os nossos gastos, né? E, se não for para fazer bem feito, e com prazer, acho melhor dar um tempo.

Mas não priemos cânico pois vai estar quase tudo no facebook.com/melhorpiorbsb. Vou até arriscar um textão ou outro por lá.

Obrigada pela companhia todos esses anos.

Lulu Peters

:-)

shhh-cover

TABUADA BAR: DRINKS & TÁBUAS

#drinks #barzinho #comidinhas #sudoeste #happyhour #melhorepior#lulupeters


Apesar de eu dar nomezinhos para as minhas notas do blog, a verdade é que só existe uma nota máxima verdadeira. Se você é sensível, pare de ler agora. Não quero ofender ninguém, mas a expressão que brota do meu ser quando tenho um orgasmo gastronômico é pu.ta.que.pa.riu.ca.ra.lho.

É, é assim que a felicidade gordinha aparece pra mim.

Depois de acompanhar o hype do Tabuada pelas internetchy da vida, e perder um primeiro convite pra comer e beber de graça, confesso que pensei: mó hipster isso aí. Mas a foto dos Drinks em forma de lata de tinta me provocou um surto neurológico. Se aquela coisa linda era hipster, eu seria também.

14352013_1117020958346372_5471367307809266947_o

14372094_1117021238346344_677302619416639803_o

14352192_1117021145013020_5743717441111122369_o

Hoje mesmo, passei na casa pela primeira vez. E pela primeira vez conheci as novas concorrentes dos dinossauros blogueiros: as grammers. Instagramers poderosas, jovens e rhycas. Me senti meio ridícula, MAS as tchucas do @welovefoodbr e @mistureomix foram companhias muito queridas.

14435057_1117021111679690_6593166193579505257_o

O lance do Tabuada é confundir o cliente. A gente não sabe se bebe e come ou se contempla e leva pra decorar a casa. TUDO é feito com impacto estético. Da coquetelaria super inovadora às tábuas de belisquetes perfeitamente combinados e deliciosos, tudo agrada aos olhos primeiro para agradar o paladar depois.

14435253_1117020998346368_151122627941979819_o

Me aguardem, vai rolar de bater ponto.

NOTA DO BLOG: pu.ta.que.pa.riu.ca.ra.lho

Dica: a tábua Fromage, mon amour, com queijos, pêra, geléia e torrada (R$ 45,00) e o drink apaixonante e refrescante Marilyn que vem numa apresentação tão linda que eu beberia até se fosse sabão.

Serviço: CLSW 101, virado pra quadra.(61) 3526-8592

PICCOLO EMPORIUM

Algumas vezes, meu blog mais machuca do que ajuda. Parece-me que, alguns leitores, esperam poder contra-argumentar algum elogio e o problema é que, quem pode se prejudicar nessa história, é o proprietário ou o chef.

Quando o Piccolo Emporium abriu no Shopping Vitrini, eu era dessas que nem cogitava ir até Águas Claras para comer. Fui lá com meu ex-marido que forneceu, por um tempo, as linguiças artesanais da Cacciatore.

14379958_1112622242119577_1591059528245977559_o

Fiquei louca. Burrata, antepastos italianíssimos, polpetone maravilhoso, e coisas inusitadas como o tutano de boi servido no osso, com flor de sal, me deixaram gastronomicamente apaixonada.

Depois do texto no blog, o chef proprietário, Ville Della Penna, de família italiana, me agradeceu com toda a humildade do mundo. Quase como se não fosse merecedor do elogio. Era, sim. Mas isso não impediu que o pequenino espaço fosse lotado por pessoas que queriam avaliar, não a casa, mas a minha avaliação da casa. Desde de chamar o quitute pelo nome errado (chamar de salgado o que era arancini), até a ausência momentânea de guardanapos foram usados para “bater” no Piccolo.

14361352_1112622258786242_8411820754201028796_o

Depois de várias mudanças e, inclusive, alguns impactos terrivelmente duros no casal proprietário, a casa encerrou suas atividades.

Ainda bem que renasceu na CLS 209, num espaço despretensioso e aconchegante onde o foco é na comida, na qualidade dos ingredientes e na experiência gastronômica.

14352299_1112622322119569_2470411465085490128_o

Fora a pizza de metro que é DIVINA, o almoço executivo é quase imbatível em termos de custo /benefício, já que os preços vão de R$25,00 a R$39,00 com entrada, principal e sobremesa. A burrata delicadíssima (R$39,00), o nhoque levíssimo, o carbonara tradicional (R$37,00, fora do executivo) e o canoli surpreendente de ricota com limão (R$7,00 a unidade fora do executivo) valem visitas constantes à casa que é, de verdade, como a casa da Nona. Só que lá a Nona é um Chef fortinho e tímido.

14362567_1112622352119566_1535384612350922607_o

Espero que desta vez, eu não esteja só encorajando pessoas a irem lá investigarem minha visão e, sim, se permitirem conhecer.

Obrigada, Piccolo Emporium e Ville Della Penna

PS: eles entregam pizza pelo IFood, mas para uma comida tão fresca, vale a pena ir até a casa para comer de imediato.

NOTA DO BLOG: Gosto muito, muito.
DICA DO BLOG: parmegiana, nhoque, risotos e pizza de metro. Bom, tudo, né?
Serviço: CLS 209, TELEFONE 3532-0304

Moscow Mule, o drink do momento, no Oliver/CRU. Por Jamile Guerra

A Jamile é leitora do blog e esposa do meu amigo Bruno e quando eu finalmente a conheci, fiquei louca com o tanto que nos demos bem. Assim, eu já aproveitei o encontro para pedir que ela fosse em nome do blog conhecer o drink mais badalado do momento: o Moscow Mule.

Eu provei o drink em outra ocasião, quando fui almoçar Porco no Rolete lá no Oliver, e, realmente, a bebida é perfeita para Brasília. Não é enjoativa, é refrescante e é alcoólica, porque, né. Algumas pessoas precisam de álcool para viver.

Enfim, a impressão dela foi bem bacana e eu adorei o fato de que ela, como eu, não estava atenta para nomes famosos da gastronomia da cidade, passando por algumas gafes engraçadas! ;-)

Moscow Mule

Por Jamile Guerra

Quem vê aquela inocente canequinha de cobre nem imagina o que ela traz em si. O Moscow Mule é uma bebida que surpreende do início ao fim, seja pela apresentação ou pela proeza de oferecer, ao mesmo tempo, doçura e acidez.

Um clássico dos anos 50, foi responsável pela popularização da vodca nos Estados Unidos. A versão original leva também Ginger Beer e limão. Em Brasília, ganhou uma releitura charmosa no Restaurante Oliver, trazendo em sua composição gengibre e espuma de limão.

IMG-20160715-WA0013

O drink passou a compor a carta da casa e foi merecidamente festejado. Em São Paulo e no Rio de Janeiro já virou um “queridinho”, promete alcançar o mesmo status no Planalto Central.

A espuma de limão dá uma textura macia à bebida, quase um carinho no céu da boca. Outra coisa interessante é que o gengibre vai se incorporando cada vez mais ao drink, o que significa que se você beber bem devagar vai perceber a sutileza da mudança de gosto.

IMG-20160715-WA0018

Aliás, se eu pudesse dar um conselho àqueles que quiserem conhecer o Moscow Mule do Oliver, diria: vá com calma. Bem, primeiro por ser uma dessas bebidas que enganam a gente. Às vezes, você até esquece que tem álcool – muito embora o teor alcoólico do drink varie de 35% a 60% – e é justamente aí que mora o perigo (quem nunca?). Depois porque é uma delícia sentir o tempo agir na bebida.

Cada caneca sai por R$24,00 R$28,00 e vale o investimento. Aproveite para provar as comidinhas do Oliver e também do Cru, que é anexo ao Restaurante. Eu caí de amores pela Casquinha de Linguiça com Ovo Pochê (R$18,00). Um escândalo de gostosa.

22

PS: A foto da casquinha ficou muito escura, então, usamos uma foto de divulgação do site www.peixeurbano.com.br

La Panière

Se tem um comércio do qual Brasília anda muito bem servida, é a padaria. Boulangerie, Boutique de Pão, Pain blablá ou delícia artesanal, enfim, não interessa que tipo de gourmetização e francezação rola no nome, pois a verdade é que há muitos produtos maravilhosos para nos servir e engordar.

IMG_20160507_153634

Os pães e croissants e doces desses locais têm angariado muitos clientes fiéis – euzinha incluída – e tá cada vez mais difícil pensar em um café da manhã de fim de semana com o velho pão francês (que SEMPRE terá seu lugar, principalmente, quentinho e com manteiga).

DSC_0178

A La Panière é uma das que acho mais fofas, com um cuidado enorme na fermentação natural e produtos saborosos.

O problema é só o espaço que é bem reduzido, sem mesas externas, então, vale a pena comprar e vazar, ou escolher um horário mais vazio. Os preços seguem a linha da La Boulangerie e as outras padarias phynas.

Nota: Hum…gostei.

Dica: tartalete de limão, croissant e pain au chocolat

Serviço: 211 Bloco A BL A , Telefone: (61) 3245-6280.  Horário: Aberto hoje 07:00 – 20:00

 

« Posts Anteriores